23/11/2012
Richa reafirma apoio do Estado ao desenvolvimento do cooperativismo

O governador Beto Richa disse nesta quinta-feira (22/11) que o governo do estadual não medirá esforços para fortalecer e garantir o crescimento do cooperativismo paranaense. Richa citou diversos investimentos, mecanismos e incentivos criados nos últimos dois anos para beneficiar o setor. O pronunciamento foi realizado em Carambeí, nos Campos Gerais, durante abertura do Fórum Coop 2012, último evento do calendário oficial do Ano Internacional das Cooperativas.

O Fórum Coop 2012 reuniu cerca de 700 lideranças para discutir as necessidades do sistema cooperativista. Ao final do evento, será elaborada a Carta de Carambeí, para envio às autoridades da área. “Nossa intenção é fortalecer o cooperativismo no Paraná. Para isso, oferecemos linhas de crédito, suporte técnico e investimentos em infraestruturaa para atender os anseios do homem do campo”, disse o governador.

Richa destacou o bom relacionamento do governo com as cooperativas e a participação do segmento no desenvolvimento econômico e social do Paraná. “Temos um trabalho muito próximo do segmento, procurando atender seus anseios, o que é plenamente justificável, já que o agronegócio tem salvado a balança comercial do Brasil, registrando superávit”, disse ele. O governador lembrou que, no início do mês, sancionou a lei estadual 17.142, que estabelece incentivos e mecanismos de apoio ao cooperativismo paranaense.

A legislação prevê apoio do governo à capacitação de profissionais, suporte técnico do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) para cooperativistas agrícolas e pecuárias. Prevê ainda que o Estado deva estabelecer tratamento tributário adequado ao ato cooperativo e que as cooperativas legalmente constituídas poderão participar de licitações promovidas pelo Governo do Paraná. A legislação reativa as cooperativas escolares e determina a inclusão de temas e exemplos de cooperativismo nos assuntos da grade curricular das escolas da rede estadual.

Richa disse ainda que o governo retomou o programa Patrulha do Campo, que irá repassar máquinas e equipamentos a consórcios de municípios para recuperação e modernização de estradas rurais. Serão sessenta patrulhas até 2014. O governo está investindo ainda nas ferrovias, estradas pavimentadas, aeroportos e portos. Além disso, ano passado o BRDE disponibilizou R$ 750 milhoes em crédito para fomento da produção, sendo R$ 287 milhões destinados ao cooperativismo.

Cooperativismo
Segundo o presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski, a expectativa é que no próximo ano a quantidade de cooperativas no Estado aumente. Ele destaca que o apoio do governo estadual é fundamental para que haja garantias aos cooperados. “Temos um Estado parceiro e que tem divulgado a importância do cooperativismo, principalmente para trazer um crescimento mais justo e com distribuição de renda”, afirmou o presidente.

De acordo com informações da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), o cooperativismo é responsável por cerca de 60% do Produto Interno Bruto (PIB) agropecuário do Estado, com exportações de R$ 4,4 bilhões e geração de R$ 1,2 bilhão em impostos. No ano passado, o faturamento registrado das unidades foi de R$ 32 bilhões, o mais alto dos últimos dez anos. Existem no Paraná 240 cooperativas e 735 mil cooperados.

O ano de 2012 foi escolhido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Ano Internacional das Cooperativas e em todo o mundo esse foi o tema de diversos encontros que discutiram a importância deste modelo de arranjo para o futuro do agronegócio e da economia.

Para o secretário da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, o cooperativismo no Paraná é exemplo para o Brasil. Segundo ele, o Fórum Coop será fundamental para o setor refletir os rumos do cooperativismo e formas de ampliar a produção. “O governo quer atuar em parceria para ajudar a resolver todos os problemas”, afirmou. Ele explica que o setor não é restrito apenas à agroindústria, atualmente, a participação é estendida a outros ramos como, por exemplo, no crédito, educação, saúde.

Fórum
O evento se estende até o próximo sábado (24) e contará com diversos eventos paralelos da Ocepar, como o Encontro de Núcleos do Sistema e o modelo de integração das Cooperativas do ABC; e de resgate histórico promovidos pelo Parque Histórico de Carambeí, como, por exemplo, a Festa da Colheita, que mostrará ao visitante a evolução tecnológica ocorrida na agricultura por conta da mecanização; e a encenação do cotidiano do início do século passado. Carambeí sediou o evento por ser considerada a cidade berço do cooperativismo de produção do país – a Batavo.

O Fórum abordará o modelo cooperativista e intercooperativista paranaense, de base holandesa. Haverá palestras sobre transferência de tecnologia nos EUA, tendências da economia brasileira, forças e tendências moldadas à agricultura e à escala de produção agrícola, avanços da biotecnologia, bioenergia e sustentabilidade, entre outras. Além de estudantes e diversos associados das cooperativas paranaenses, participam da abertura os deputados estaduais Marcelo Rangel, Plauto Miró, Élio Rusch e Pedro Lupion.

COMPARTILHAR

ENVIE SEU COMENTÁRIO

NOME:
EMAIL:
MENSAGEM:
*Seu comentário será avaliado e aprovado antes de ser publicado. E somente aprovaremos comentários com o nome completo e o e-mail do leitor.
- As informações e conceitos emitidos em colunas, matérias e artigos assinados são de inteira
responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do Plantão da Cidade.