Ponta Grossa
Cidade de Vila Velha
Princesa dos Campos Gerais

 


Rua Tiradentes, 853
(Em frente ao Sepam Vestibulares)
Fone: (42) 3224-2634

 


132 trechos já entregues; mais 43 em obras

 

 

 
 

 

 

 

 

 

 

 

Ponta Grossa, sexta-feira, 16 de maio de 2008
 
Tibagi reserva área para construção
do Aeroporto dos Campos Gerais
Assessoria

Uma área de 35 mil metros quadrados na região do Alto do Amparo, a 20 quilômetros de Ponta Grossa, acaba de ser decretada de interesse e de utilidade pública, pelo prefeito Sinval Silva, de Tibagi, e pode se transformar na sede do Aeroporto Internacional dos Campos Gerais, o maior terminal de cargas do Brasil.

Leia, também:

Política
» Tibagi reserva área para construção do Aeroporto
dos Campos Gerais

» TCE recebe documentos e contas de Jocelito podem ser aprovadas
» CEEBJA participa de Sessão Jovem na Câmara de Castro
Geral
» Gestão educacional de PG
é apresentada no Ceará

» Estudantes são treinados para  combate à exploração
» Cem escolas confirmam
presença nos 24º JEM

» Prefeituras podem pedir
verbas do FNH até amanhã

» Grupo Taiko se prepara para centenário da imigração
» Wosgrau destaca contribuição de japoneses na abertura
de exposição

» PG recebe ‘Oh! Calcuttá’

O documento assinado ontem (15/5) também pelo deputado estadual Marcelo Rangel e na presença de várias autoridades regionais e empresários investidores, facilita para que a Companhia Aeroportuária Vale do Tibagi - CAVT, que está sendo criada, adquira o terreno e possa imediatamente iniciar a construção deste gigantesco empreendimento.

Há vários meses estão sendo realizados estudos de viabilidade para encontrar um terreno ideal e o município de Tibagi, vizinho de Ponta Grossa, um dos maiores do Paraná, terá o privilégio de receber o empreendimento, que ao mesmo tempo contemplará Ponta Grossa e todos os municípios dos Campos Gerais, pela proximidade e por estar dentro dos cronogramas aeronáuticos exigidos para uma obra de tamanho porte.

São ao todo 1.466 alqueires para uma obra que será de Ponta Grossa, Tibagi, do Paraná e de toda a América do Sul, conforme vem comentando o empresário Édison Morosowski, que está à frente dos estudos técnicos do Aeroporto, referindo-se a importância que tomou a iniciativa.

“O que vamos ter neste local não é um aeroporto que dependa diretamente de movimento mínimo para se expandir, pois ele próprio será auto-sustentável, aglutinando para a região o grande filão de produções que serão destinadas ao Mercosul e outros continentes, tanto na entrada como na saída de mercadorias”, explica Morosowski, lembrando que em cinco anos, se todos os investimentos previstos forem carreados, já será possível o aeroporto estar em plena operação.

Para todo o processo de construção, que deve levar de 5 a 10 anos, o Aeroporto Internacional dos Campos Gerais poderá utilizar mão-de-obra regional, com uma empresa técnica responsável por toda a orientação. “O que se pretende com esse investimento é utilizar o máximo possível a mão-de-obra regional, oportunizando empregos e gerando receita que vai ficar concentrada nos Campos Gerais, notadamente em Ponta Grossa e Tibagi”.

A operação do Aeroporto, mesmo quando ele estiver parcialmente concluído em sua primeira etapa, o que deve demorar no mínimo quatro anos, será extremamente positiva para a economia regional. O prognóstico de Morosowski é de que as cidades ao seu entorno comecem a adquirir um dos melhores padrões de vida, a exemplo de cidades do primeiro mundo. “E isso vai independer do aumento de sua população”, deduz ele.

O deputado Marcelo Rangel comemorou o desenvolvimento dos estudos, que ocorrem de maneira rápida e eficiente. “Serão cerca de 250 mil pousos e decolagens de aeronaves de grande porte por ano, já na primeira etapa e quando estiver com as quatro pistas previstas concluídas, poderá chegar a 700 mil pousos e decolagens anuais, classificando-se entre os dez maiores aeroportos do mundo. Isso significa uma média de 80 aeronaves/hora em atividades de pico”, exemplificou.

O investimento desta obra, que prevê um sítio de quase 1.500 alqueires para o seu projeto definitivo, torre de controle, armazenamento, terminais de socorro, ILS e radar é em torno de R$ 1 bilhão, sendo que já na primeira fase estão sendo alocados aportes de R$ 206 milhões vindos totalmente da iniciativa privada.

 


Dicas de filmes
Cinema, DVD e TV

Atualizada em 18/04


Atualizada em 18/04


Atualizada em 09/04


Atualizada em 17/04


Gosto de sinceridade!
Atualizada em 11/04


Sobre canários e sabiás
Atualizada em 18/03


O Baile
Atualizada em 11/04

Turismo
de Ponta
Grossa e Região


Atualizada em 18/04

 

 

Plantão da Cidade OnLine - Rua Antônio Vieira, 295 - Bairro São José - Ponta Grossa - PR
Jornalista Responsável: Luiz Carlos Castilho
 - RPR (MT) - 4450
Comercial: Maria Jacira Castilho - Telefones: (42) 3224-2375 - (42) 9119-1523
- As informações e conceitos emitidos em colunas, matérias e artigos assinados são de inteira
responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do Plantão da Cidade