Ponta Grossa
Cidade de Vila Velha
Princesa dos Campos Gerais

 

 

 

 

 

 

 
 

 

 

 

 

 

 

 

Ponta Grossa, quarta-feira, 28 de outubro de 2009


Contato: jornalismo@fmtropical.com.br

Todos os dias
Rádio Clube
Às 6:00 horas - Revelações no Ar
TV Educativa
Às 7:30 horas - Jornal das Sete e Meia
Às 19:30 horas - Jornal da Educativa
Tropical FM
Às 18:50 horas - O comentário de Altair Ramalho

 
VAPORES DE CALDEIRÃO

Política também é Cultura. Um brasileiro de nome Capistrano de Abreu, cearense como Chico Anysio, nativo da mesma cidade – Maranguape, no Ceará, foi um dos primeiros grandes historiadores brasileiros. A sua obra é caracterizada por uma rigorosa investigação das fontes e por uma visão crítica dos fatos históricos.

Capistrano foi convidado a participar da elaboração da Carta Magna da República (a primeira, em 1891) e então escreveu a célebre colaboração à Constituição:

“Artigo 1º - De agora em diante todo brasileiro está obrigado a ter o dever de ter vergonha na cara.
Parágrafo 1º e único – Revogam-se as disposições em contrário.

Até hoje todos esperam o cumprimento do que foi pregado por Capistrano de Abreu.

E é por isso mesmo que o que vale mesmo é a intenção exteriorizada pelo vereador George Luiz de Oliveira ao protocolar projeto que revoga uma lei aprovada pela Câmara Municipal de Ponta Grossa, totalmente desconhecida ou mal interpretada pelo Departamento Jurídico da Casa, e que não resistiu a uma simples olhada lançada pelo advogado e juiz aposentado Josué Corrêa Fernandes, responsável direto pela retirada de seu cliente – Sua Excelência o Senhor Vereador Alysson Zampieri, do núcleo de um corredor polonês na Câmara Municipal.

Faltam capistranos no Direito!
 
Mudando de assunto. Um dos principais aliados do senador Osmar Dias, pré-candidato a governador do Paraná, e que é o deputado Abelardo Lupion, foi indicado pelo seu partido, o DEM, para fazer parte da CPMI do MST que vai investigar desvios de repasses de recursos públicos ao MST.

Esse movimento não terá vida fácil, a partir de agora, aliás, como nunca teve, com o ruralista Beca Lupion.

Quanto ao senador Osmar Dias, ele contou de viva voz, no rádio, Rede T de Rádio, que assinou requerimento para a implantação dessa CPMI, dando vazão ao que indicava a sua consciência.

Sabedor de que o deputado federal André Vargas o desancara, também na Rede T de Rádio, Osmar limitou-se a dizer que não está preocupado com esse tipo de comentário.

Na noite de ontem, também na Rede T de Rádio, Gleisi Hoffmann, presidente estadual do PT, ao mesmo tempo em que demonstrava discordância quanto ao ato de Osmar Dias, sublinhava que não será isso que colocará em risco a aproximação e a formatação de uma coligação entre o PT e o PDT do senador Osmar Dias.

De outra parte, Gleisi ecoou que, “não raciocinamos sobre planos B ou C. O que temos sim é um Plano A que me coloca como pré-candidata ao Senado da República. Para o governo do Estado, se necessário for contamos com nomes como o do Paulo Bernardo e do Jorge Samek”.
 
PAJELANÇA

Pelo menos dois partidos que integram a geografia político-partidária de Ponta Grossa começaram a respirar ares de renovação. O primeiro deles, conforme exaustivamente relato pela coluna, é o PDT, que colocou na ponte de comando o professor Ulisses Coelho, um personagem afável e politizado, não necessariamente dentro do perfil do político carreirista.

O outro é o PMDB, que, por aqui, não é nem sombra do velho modebra, dos tempos do doutor Ulysses Guimarães.

De qualquer forma, o novo PMDB de certa forma aposenta figuras como Rogério de Paula Quadros, Djalma de Almeida César, Herculano Lisboa e outros medalhões.

A ascensão ao topo de  um militante com menos de cinco anos de participação, e que é o professor Goiaba, coloca por terra qualquer tipo de negociação futura – entenda-se 2010, a partir do momento em que Pessuti for governador – entre as figuras carimbadas e o governo, para receber em troca posições no governo, como aconteceu até agora.

O apetite dos velhos peemedebistas deverá ser refreado. Na boca do palco estão novos personagens.

De qualquer forma o novo PMDB será chamado a participar das eleições proporcionais, não somente na condição de eleitores, mas de atores principais, como forma de apresentar soluções e candidaturas nativas.
Não há o porquê, por exemplo, o vice-presidente da Executiva Municipal do PMDB, Fábio Artero, desfraldar bandeiras por aqui para o deputado Rocha Loures, de quem ele (Artero) é assessor parlamentar.

Ontem, mesmo sem uma consulta prévia ao PTN, se falava na possibilidade de uma coligação para as eleições proporcionais com o PMDB, para a unção, então, do advogado Roberto Busato, a uma cadeira na Câmara Federal.

“Se essa fórmula não prosperar eu passarei a considerar a possibilidade do lançamento do meu nome como candidato a deputado federal”, trombeteia o Herculano Lisboa, no momento presidente da Paraná Turismo.
 
ZOOMBIDOS

O Grupo Argus, ligado ao deputado federal Luiz Carlos Setim, investiu mais de oito milhões de reais, no empreendimento que tem sua planta em São José dos Pinhais.

E isso rendeu ao Grupo Argus o prêmio “Desenvolvimento Tecnológico 2009”, entregue pela Associação Comercial de São José.

Setim implantou um dos mais modernos sistemas de aproveitamento de resíduos de carne.
O modelo tecnológico, sucesso na Itália e na Alemanha na área informatizada de produtividade e consciência ambiental, esteve um ano em teste.

O evento levou a São José dos Pinhais autoridades empresariais e políticas como o ministro da Agricultura Reinhold Stephanes e o senador Osmar Dias.

O deputado federal Luiz Carlos Setim, que tem escritório político para atender os Campos Gerais, também exerce funções econômicas em Ponta Grossa.


 

 

Plantão da Cidade OnLine - Rua Antônio Vieira, 295 - Bairro São José - Ponta Grossa - PR
Jornalista Responsável: Luiz Carlos Castilho
 - RPR (MT) - 4450
Comercial: Maria Jacira Castilho - Telefones: (42) 3224-2375 - (42) 9119-1523
- As informações e conceitos emitidos em colunas, matérias e artigos assinados são de inteira
responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do Plantão da Cidade