Nova pagina 5

CAPA

EXPEDIENTE

Plantão/História

Prefeitos

Vereadores

Política

Eleições

Poder Público

Imprensa

Rádio Santana

Fotos

  Ponta Grossa - Paraná -  
 
PM faz "pente-fino" e apreende 136
buchas de maconha e três celulares
 

Leia, também:

Política
»
Oposição censura destempero do governador no Sudoeste
»
Requião apóia Moacyr para AMP
»
Secretário da saúde se cala diante de argumentos do PT
»
Requião reitera compromisso do Governo com os mais pobres
»
Governador desqualifica anúncio do Banco Itaú
Geral
» Taxistas reclamam e Prefeitura vai adequar legislação de moto-frete
»
Acidentes com motocicletas são maioria em Curitiba
»
PM faz "pente-fino" e apreende 136 buchas de maconha e três celulares
»
Mulheres de policiais militares agradecem por aumento de salário
»
Resultados parciais confirmam inexistência de aftosa no Paraná
»
Servidor que abrir a conta até amanhã, recebe pelo Banco do Brasil
»
Governo investe em ciência e tecnologia para a saúde
Colunas
» Por Dentro (Política)
»
Papo de Bola (Esporte)
Região
» Cohapar estuda programa de habitação para policiais de Castro
Esporte
» JAPs  definem campeões
Cultura
»
Ponta Grossa participa da Conferência Estadual de Cultura

Uma das maiores apreensões de droga no presídio local de Ponta Grossa aconteceu na manhã de ontem. Efetivo da Polícia Militar realizou revista minuciosa no interior do prédio, que foi palco de fuga de presos na noite de domingo, e apreendeu 136 buchas de maconha, dez pedras de crack e três aparelhos de telefones celulares, escondidos dentro de aparelhos eletrônicos como tevês e ventiladores. Também foram retirados das celas, principalmente da terceira e da quarta galerias, nove estoques (armas improvisadas), uma lima de ferro, pedaços de lata e imã, material usado para danificar a estrutura da edificação em planejamentos de fuga. A maioria dos objetos estava justamente na cela por onde os internos se evadiram no fim de semana.  O tenente Aurélio de Santa Clara, que comandou a operação envolvendo mais de 40 policiais e cães adestrados, disse que periodicamente são feitos “pente-finos” no presídio, mas que desta vez se procedeu uma vistoria minuciosa, incluindo a retirada dos cubículos de 27 televisores, 27 rádios de diversos tamanhos, ventiladores e três videogames, entre outros eletrônicos. Policiais desmontaram todos estes aparelhos, vindo a se confirmar a suspeita de que servem para esconder materiais proibidos e entorpecentes.

Dentro de um ventilador, por exemplo, estava telefone celular, o mesmo acontecendo com duas tevês de 14 e 5 polegadas, nas quais foram encontrados outros dois celulares e a maior parte das 136 buchas de maconha.  Segundo Aurélio, todo o material está sendo catalogado e relatório será encaminhado ao Poder Judiciário. Hoje pela manhã, levantamento buscava identificar os detentos donos dos equipamentos para que sejam ouvidos em inquérito policial.

Mulheres
Esta apreensão considerável de droga e telefones celulares provoca questionamento de como entram produtos proibidos no interior do presídio. A resposta mais viável é a de que mulheres que visitam os presos aos domingos levam objetos e drogas e até celulares escondidos nas partes íntimas. Foi o que aconteceu no domingo pela manhã, quando policiais femininas descobriram que Maria Helena Tonze, 34 anos, levava desta forma quantidade de maconha para o seu amásio, o interno José Roberto de Lara, que cumpre pena por tráfico de drogas. 

De acordo com policiais militares que fazem a segurança externa, é uma situação difícil de ser detectada, por mais minuciosa que seja feita a revista nas visitantes. Haveria a necessidade de se empregar enfermeiras nestas abordagens, uma idéia que não está fora de cogitação, segundo eles, mas que necessitaria de convênios com outros órgãos do Estado. Os homens também passam por revistas criteriosas, em que tiram suas roupas e se agacham sob a observação atenta das equipes em sala específica para este fim. Este procedimento torna quase impossível a passagem de produtos proibidos. A alimentação levada pelos parentes dos detentos também passa por fiscalização detalhada, desde líquidos, pães, carnes e  outros.

Fugitivos
Operação da Polícia Militar, resultou na captura de mais um fugitivo do Presídio Hildebrando de Souza. Jurandir Santana, preso por assalto à mão armada, foi encontrado nas proximidades do Aeroporto Santana, em meio à matagal, ferido com tiro no ombro e no rosto. Ele escondia-se em localidades daquela região desde à noite de domingo, quando empreendeu fuga na companhia de outros dez detentos. Cinco já foram recapturados, três feridos a tiros e dois machucados durante a queda da laje do prédio, de onde se jogaram para o pátio externo.  De acordo com declarações de Jurandir, a intenção dele era chegar até o Distrito de Guaragi, onde moram suas irmãs. Com os ferimentos, teve dificuldades e acabou chegando a uma borracharia das margens da PR-151, quando foi avistado por populares, os quais acionaram a Polícia Militar. Cerco na região, em vegetação próxima ao Rio Tibagi, resultou na sua localização. Jurandir não reagiu à prisão e acabou socorrido pelo Siate e levado ao Pronto Socorro Municipal. No início da noite, ele já estava entregue na 13ª Subdivisão Policial, retornado, depois, ao presídio.

A Polícia Militar está colocando à disposição da comunidade os telefones 190 - emergência - e (42) 3223-0190, disque-denúncia, para fornecimento de informações que levem aos paradeiros dos fugitivos.

Continuam foragidos
JOSI CASTRO FORTES - assalto à mão armada
LEANDRO BUENO DOS SANTOS – idem
SÉRGIO RAMOS DOS SANTOS – idem
ROMAIR ANTÔNIO DA SILVA – peculato
ANDERSON EDMILSON FERREIRA – tráfico
CLAUDECI MOTA – tráfico
 

 



Cópias e fotolitos